Skip to content

O sono da razão, conclusão (opcional)

19/10/2009

Quando comecei a escrever “O sono da razão”, minha intenção era fazer um conto de terror, mas acabou que esse detalhe só ficou aparente para o leitor no último parágrafo. Revendo o texto, percebi que a história estava redonda sem a inclusão do elemento de terror — apenas como uma narrativa sobre medo. Foi por isso que concluí a série no post de ontem. Contudo, para efeito de completude, posto agora o fim original de “O sono da razão” como uma conclusão opcional apara aqueles que assim o desejarem.


Lucas abriu os olhos. Seu quarto estava escuro exceto pelo rádio-relógio sobre o criado mudo que marcava três horas da manhã em números vermelhos brilhantes. Por um breve momento, ele não entendeu o que o havia feito despertar –- restava apenas a fugidia sensação de que havia sido um ruído. Então, ele percebeu o som e um grande terror se apossou do agora adulto Lucas. Em menos de um segundo, todos os seus medos de criança voltaram para assombrá-lo. Tudo por causa daquela infernal percussão. O timbre, a cadência, o monótono ritmo, tudo sobre o pulsar que vinha naquele momento da sala do seu apartamento era igual ao amaldiçoado barulho que o sonambulismo da sua mãe havia criado 20 anos antes. Mas havia uma diferença.

Sua mãe havia morrido naquela manhã.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: