Skip to content

Pedal patagônico: Trecho 3.3 – Lago Escondido –> Ushuaia

20/05/2017

Amanhecer no lago Escondido

Amanhecer no lago Escondido

Acordamos por volta das 5 da manhã e, pouco antes das 7, estávamos na estrada. Como anunciado pelo colega francês, a subida não era tão tenebrosa assim e, sem vento contrário, progredimos num ritmo satisfatório. A paisagem que acompanhava a subida era a do prórprio lago Escondido, que daquela altura,  aparecia em todo os eu esplendor. No caminho, encontramos com um grupo de cicloturistas que tínhamos visto pela primeira vez na pousada El Argentino, em Rio Grande: Ana Lia, seu marido Jorge Meji, os dois filhos do casal e o amigo Lucas Miller. Acabaríamos por seguir até Ushuaia em conjunto, algumas vezes à frente, outras atrás.

 

Lago Escondido (lago Khami ao fundo)

Lago Escondido (lago Khami ao fundo)

Chegando no passo Garibaldi

Chegando no passo Garibaldi

Quando alcançamos o famigerado passo Garibaldi, paramos para tirar fotos e registrar nossa conquista. Depois, seguimos para o outro lado, descendo para o vale. Na minha cabeça, seria uma descida constante até Ushuaia. Ledo engano. A estrada nos levou até o vale e de lá ainda foram uns 40 km até Ushuaia, com direito a algumas subidas íngremes no caminho, além de uma corrente partida, no caso do Christian. Por sorte, Jorge é um mecânico ceritificado pela Shimano e rapidamente resolveu o problema.

 

 

O vale

O vale

 

Com Christian Beiser, Ana Lia, Jorge Meji, Lucas Miller e as ciclistas de Ushuaia

Com Christian Beiser, Ana Lia, Jorge Meji, Lucas Miller e as ciclistas de Ushuaia

Seguimos aproveitando a paisagem do vale e, no caminho, encontramos três ciclistas de Ushuaia (Mirta Mores, Charo Zingoni e outra que nao peguei o nome), que costumam pedalar na região. Elas tinham preparo físico de dar inveja, como pudemos comprovar no breve período em que nos acompanharam no percurso. Quando chegamos no resort de ski Cerro Castor, decidimos parar para comer um cordeiro patagônico. As três seguiram viagem de volta a Ushuaia acompanhadas por Christian, que precisava chegar mais cedo devido a sua hospedagem.

Eu, Sandra e Hélio, mais Ana Lia e seu grupo almoçamos — devo confessar que não achei o tal cordeiro lá essas coisas — e continuamos na estrada para fechar os quilômetros que faltavam, dessa vez com vento contra, além das subidas. Mas apesar desse esforço final, chegamos ao Fim do Mundo, como as fotos abaixo podem comprovar.

O portal de Ushuaia

O portal de Ushuaia

Ushuaia

Ushuaia

Passaporte carimbado

Passaporte carimbado

Fim do mundo

Fim do mundo

Ficamos cinco dias em Ushuaia e conheçamos várias atrações da região, como o Parque do Fim do Mundo e a Estância Halberton (com direito à visita ào berçario de pinguins). Foi um final excelente para uma viagem incrível. Fomos  totalmente infectados pelo vírus do cicloturismo e passamos a planejar destinos possíveis para futuras viagens.

Este post marca o fim do percuso, mas farei uma postagem final com um resumo dos dados.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: