Novo/New site

Hoje é meu aniversário e, para comemorar, lancei meu novo site. Apareçam lá e conheçam um pouco mais das minhas ficção especulativa e divulgação científica.

Se quiserem assinar minha newsletter, não vou ficar nem um pouco chateado.

Vocês podem visitar também o meu Patreon e se tornarem apoiadores, me ajudando a incrementar minha coluna na RPGnet.

Mas só divulgar esses sites já ajuda bastante.

E, claro, aceito presentes variados. :]

Today is my birthday and, to celebrate, I have launched new site. Drop by to learn about my speculative fiction and my science communication.

And if you want to sign up for my newsletter, there won’t be any complaints here.

You can also visit my Patreon campaign and become a patron, helping me spruce up my RPGnet column.

But just spreading the word about these sites is help enough.

And, of course, I welcome various gifts. :]

Superseeds #102: The Lazarim, part 2

The Lazarim, part 2 é o centésimo-segundo artigo da minha coluna na RPG.netSuperseeds. Neste, falo sobre o mundo dos lazarim.

E confira nosso Patreon!

 

The Lazarim, part 2 is the hundred-second installment of my RPG.net column, Superseeds. In this one, I talk about the Lazarim’s world.

And check out our Patreon!

Superseeds #100: Crisis on Superseeds!

Se em junho de 2010, alguém tivesse me contado que eu escreveria cem colunas sobre supers, teria rido e dito “Um hum”. Mas aqui estamos, nove anos depois: Superseeds #100: Crisis on Superseeds!

E confira nosso Patreon!

 

If back in June of 2010 someone had told me I would write one hundred columns about supers, I’d have laughed and said “Um hum”. But here we are, nine years later: Superseeds #100: Crisis on Superseeds!

And check out our Patreon!

Superseeds #99: A Ship called Wanda, part 3

A Ship called Wanda, part 3 é o nonagésimo-nono artigo da minha coluna na RPG.netSuperseeds. Neste, termino o tour pela Wanda.

E confira nosso Patreon!

 

A Ship called Wanda, part 3 is the ninetieth-ninth installment of my RPG.net column, Superseeds. In this one, I finish the Wanda tour.

And check out our Patreon!

Morte nas escadas do Metro

Uma mulher morreu no metrô de Nova York, porque estava carregando o carrinho de bebê nas escadas e caiu. Essa é uma cena comum nas estações do Metrô Rio (e da Supervia também), que não são exatamente campeãs de acessibilidade. Só algumas estações possuem elevadores de acesso e eles muitas vezes estão parados.

Isso é, obviamente, um problema grave para quem tem mobilidade reduzida — cadeirantes, idosos etc. –, mas afeta também os ciclistas. Pelas regras do Metro Rio, eles não podem usar os elevadores, que são de uso “exclusivo” e não preferencial, além de, pelas regras da companhia, também não poderem levar as bicicletas nas escadas rolantes. Fora a truculência dos agentes de segurança do Metro Rio.

Seguidas à risca, essas normas significam que ciclistas têm que se aventurar carregando suas bikes nas escadas — a mesma situação que levou à morte da mãe americana.

A foto abaixo, tirada na estação Saens Pena da linha 1, é um exemplo dessa situação.

25594369_10156403770677971_2475169807918645516_n.jpg